VIAGENS 11.FEV.2016

Galópolis, um museu a céu aberto

A primeira iniciativa para tornar o bairro Galópolis, em Caxias do Sul, na Serra gaúcha, em um museu a céu aberto, foi tomada com a inauguração do Museu de Território na comunidade.

A primeira iniciativa para tornar o bairro Galópolis, em Caxias do Sul, na Serra gaúcha, em um museu a céu aberto, foi tomada com a inauguração do Museu de Território na comunidade. O projeto é fruto de um trabalho de resgate e catalogação de objetos, fotos e informações históricas, tendo como objetivo valorizar o patrimônio cultural da região, envolver a comunidade e apresentar a história.

 

Alicerçado na trajetória e no legado do italiano Hércules Galló, pioneiro da indústria têxtil na Serra Gaúcha, o museu começa nas duas casas onde o empreendedor e sua família viveram, mas irá além, num segundo momento. A casa um, construída em 1904, a casa dois, que data de 1908, os jardins e a sala Multiuso, inaugurada em março de 2014, constituem o primeiro núcleo do Museu de Território.

 

Enquanto a casa um abriga a reserva técnica e o banco de dados do museu, na casa dois é socializada a visão do empresário no que diz respeito às suas realizações e aspectos da vivência familiar, estendendo o olhar para o seu maior legado, Galópolis e suas famílias, e passando pelo processo de restauro de suas antigas residências.

 

O jardim rememora o espaço lúdico e de convívio da família, com flores da época e releituras de brinquedos e objetos infantis, e a Sala Multiuso abriga a realização de encontros, palestras e mostras temporárias. A ideia é que, nas fases seguintes, cada local que integrar o Museu de Território de Galópolis receba um totem contando a sua história

 

Museu de exposição e ambiência

001

Foto: fotos Alexander Fernandes  Foto Itália

 

Doze ambientes compõem o museu de ambiência da casa dois. A visita se inicia pelo vestíbulo, que traz a reprodução de uma cortina da época e uma urna em madeira, retratando o envolvimento político e a liderança de Hércules Galló, que assumiu a intendência de Caxias de 1914 a 1915, quando o Coronel José Penna de Moraes se licenciou do cargo, além de ter sido o primeiro deputado da região colonial italiana na Assembleia Legislativa, no período de 1913 a 1916. Peças originais da casa, como um console e um espelho, também ocupam e ornamentam o espaço.


Os conceitos de museu de exposição e de ambiência se mesclam nos dois pisos abertos à visitação. A sala de jantar guarda louças e mobiliário originais da casa, reproduzindo a atmosfera dos jantares de épocas passadas. Nas salas imigração, industrialização, a casa e seus moradores e restauro é possível viajar pela história local por meio de fotos, depoimentos, filmes e objetos. No andar superior (há acessibilidade pelo elevador e a possibilidade de utilizar as escadas originais da casa), as salas família e Galópolis são um convite a voltar no tempo observando roupas dos antigos habitantes e até uma releitura de um dos vestidos da matriarca Edwige Galló. A fim de dar espaço ao resgate histórico de outras famílias de Galópolis, a última sala reserva um espaço para exposições temporárias. A primeira família retratada é a Sbabo e Balzaretti.

 

Jardins e reconstituições

Uma das inovações da proposta é a musealização dos jardins das antigas residências da família Galló. Há depoimentos que resgatam memórias desde a década de 1930 e fotos que datam da primeira década do século passado. Hortênsias, jasmins, camélias e margaridas estão entre as flores descritas e que podem ser encontradas no cenário remontado.


Além da vegetação, há reproduções de brinquedos usados por famílias de diferentes gerações que habitaram a casa. Um cavalinho de balanço, um andador de madeira e um berço de vime estão entre os objetos reproduzidos com base nas fotografias.

 

Telas touch promovem integração

Aproximando passado e presente a fim de projetar o futuro, tecnologia de ponta foi utilizada para mediar a interação com o material resgatado e catalogado. Além dos painéis confeccionados para os 11 ambientes da casa dois, telas touch instaladas em três salas diferentes trazem informações e imagens da família Galló, de Galópolis, de famílias da comunidade e do restauro das construções, ampliando o acesso, aproximando o público do conteúdo e proporcionando interatividade. O acervo conta com mais de 600 imagens. Os recursos infográficos e as áreas de ambiência ganham apoio de dois vídeos, contribuindo para a interatividade do museu com o público.

 

O Instituto Hércules Galló

002

Foto: Divulgação

 

O Instituto Hércules Galló foi criado em 2011 com o propósito de ser tutor das residências restauradas e, entre outras funções, preservar a memória do personagem Hércules Galló e sua família para as futuras gerações; ser agente gerador de projetos culturais e educacionais utilizando incentivos fiscais municipais, estaduais e federais; ser pensante nas questões de preservação e atrações para as demais edificações situadas em Galópolis, bem como motivar a comunidade e Caxias do Sul a encontrar caminhos para atrair turismo cultural e de lazer à cidade. A intervenção nas casas foi concluída e apresentada à comunidade em novembro de 2012. Em 2013 um convênio entre o Instituto Hércules Galló e a Prefeitura de Caxias do Sul, ampliou o acesso da comunidade, turistas e estudantes ao casario, aberto à visitação do público de terça a sábado, das 13h30min às 17h30min. A entrada é franca.

 

Mais informações www.herculesgallo.com.br

COMENTÁRIOS

Cadastre-se e receba
conteúdos e novidades!

Posts mais lidos

Arquivo

© Copyright 2022 SIM Rede de Postos