NA ESTRADA 07.JUL.2017

Kombi, um ícone de comportamento

A Kombi, criada em 1947 pela Volkswagen da Alemanha, teve dezenas de utilidades, antecipou tendências e foi ícone de comportamento.

A Kombi, criada em 1947 pela Volkswagen da Alemanha, teve dezenas de utilidades, antecipou tendências e foi ícone de comportamento. O nome vem do alemão Kombinationfahrzeug, que significa "veículo combinado" ou "veículo multiuso". O projeto foi apresentado pelo holandês Ben Pon, em 23 de abril de 1947, data considerada como a de nascimento do modelo. O primeiro esboço de Pon está hoje no museu VW, em Wolfsburg, na Alemanha.

A Kombi começou a ser produzida na Alemanha em 1950. Tinha como características originais a baixa estabilidade, suspensão em muita firmeza e alto ruído do motor, que era refrigerado a ar. Também inovava com a posição motorista, que sentava sobre o eixo dianteiro e com um volante quase na vertical, além de baixo custo de manutenção.

Nos anos 60 e 70, a Kombi foi adotada pelos hippies, que abandoraram a vida nas cidades e foram viver de forma nômade. Eles faziam obras psicodélicas por todo o veículo, usando cores e desenhos que remetiam à contracultura. A Kombi também foi adotada pelo cinema. Para fazer a ligação com o mundo da contracultura, a série de animação cinematográfica "Carros" criou o personagem Fillmore, um velho hippie representado por uma Kombi.

A Kombi começou sua história no Brasil em 2 de setembro de 1953. Foi o modelo que inaugurou os trabalhos da montadora alemã na fábrica de São Bernado de Campo, em São Paulo.

O primeiro modelo totalmente fabricado no Brasil surgiu em 1957. A partir de 2007, o Brasil se transformou no únicio país do mundo a ainda fabricar o modelo. Quando se deixou de ser produzida, em 18 de dezembro de 2013, ostentava o título de carro com mais tempo em linha da Volkswagen.

COMENTÁRIOS
© Copyright 2021 SIM Rede de Postos